Translate

sábado, 14 de março de 2015

A vespa sugadora de almas - Ampulex dementor Ohl, Lohrmann, Breitkreuz, Kirschey, & Krause, 2014




A série Harry Potter, da escritora britânica J. K. Rowling, é um grande sucesso de vendas mundial. A história gira em torno de Harry, um bruxo que tem por missão derrotar o terrível Lord Voldemort, sendo constante a luta entre o bem e o mal. Assim como Harry, Voldemort possuía diversos aliados, dentre os quais os dementadores. Dementadores são seres das trevas que sugam a alma das pessoas, deixando-as vazias de sentimentos e com o comportamento parecido com o de um “zumbi”.

Conhecendo as características dos dementadores e buscando aproximar o público em geral da taxonomia, foi realizada uma enquete para escolher o epíteto específico de uma nova espécie de vespa. Dentre as quatro opções, o epíteto específico dementor foi o escolhido devido as características semelhantes que a vespa apresenta com o personagem da saga.

Ampulex dementor Ohl, Lohrmann, Breitkreuz, Kirschey, & Krause, 2014 (Hymenoptera: Ampulicidae)

Etimologia
Ampulex = (do latim, ampulla) frasco, vasilha.
dementor = dementador, personagem fictício da série Harry Potter, de J. K. Rowling.

-
Ampulex dementor. Fonte: Ohl et al. 2014.
A espécie de vespa Ampulex dementor foi descrita pelo pesquisador Michael Ohl e colaboradores em 2014. As vespas do gênero Ampulex são bicolores, com a cabeça preta e o tórax vermelho. As vespas-dementadoras são delgadas e pequenas, com comprimento de 9,6 a 10,9 mm. Suas asas anteriores são parcialmente opacas, amareladas e com a parte posterior mais escura. Suas pernas longas facilitam saltos para impulsionar o voo. Além de todas essas características, esta vespa é conhecida por mimetizar uma formiga, seja em sua aparência como em seu comportamento. 

A vespa Ampulex dementor é do tipo parasitoide, ou seja, passa uma fase do seu ciclo de vida em um único hospedeiro, neste caso uma barata, matando-a no final. Ampulex dementor usa seu ferrão para injetar toxinas diretamente na cabeça da barata, alterando alguns de seus comportamentos específicos, mas mantendo sua capacidade de andar. Agarrando uma das antenas da barata, a vespa a orienta para um local adequado (uma cova) e coloca seus ovos dentro da barata. Após algum tempo, os ovos eclodem e as larvas se alimentam do hospedeiro até virarem adultas.

A família Ampulicidae compreende 200 espécies em seis gêneros, sendo Ampulex o maior gênero, com 130 espécies. A ocorrência destas vespas, conhecidas também como vespas-baratas, abrange habitats tropicais de todos os continentes. Entretanto, a A. dementor é endêmica da Tailândia.

A capacidade de controle do hospedeiro exercida pelas toxinas liberadas por Ampulex dementor tem sido vista por alguns pesquisadores como uma chance de entender como algumas substâncias podem se ligar a determinados receptores neurais e alterar comportamentos. As descobertas poderiam gerar novos remédios para algumas doenças psíquicas.


 
Vídeo de Ampulex sp. parasitando barata. Fonte: History Channel 



Referências:


Ohl, M.; Lohrmann, V.; Breitkreuz, L.; Kirschey, L.; Krause, S. 2014. "The Soul-Sucking Wasp by Popular Acclaim – Museum Visitor Participation in Biodiversity Discovery and Taxonomy". PLoS ONE 9 (4): e95068. 

Autoria: Rayanne F. Ayres

Lagartixa, demônio ou folha?! - Uroplatus phantasticus Boulenger, 1888



Os animais são especialistas em disfarces através de estratégias como o mimetismo, em que apresentam características de outros organismos. Dentre esses miméticos da natureza e vinda direto do mundo da fantasia, está a espetacular Uroplatus phantasticus Boulenger, 1888.

Uroplatus phantasticus Boulenger, 1888 (Squamata: Gekkonidae)

Etimologia:
Uro = (do Latim, oura) cauda.
platus = (do Latim, platys) plana.
phantasticus = imaginário

-
 
George Boulanger nomeou Uroplatus phantasticus de tal maneira por sua aparência incomum, quase
Uroplatus phantasticus entre folhas. Fonte: Ardea.com
mítica. Também conhecida como lagartixa-satânica-rabo-de-folha, U. phantasticus é noturna é se alimenta principalmente de insetos. Com tamanho que pode variar entre 10 a 15 cm, U. phantasticus tem corpo alongado e de coloração variada, com tons de amarelo, castanho, roxo e marrom, semelhante às folhas em decomposição no solo da floresta. Uroplatus phantasticus possui olhos grandes e pupila vertical, vantagem para enxergar no escuro e detectar sua presa. Apresentam micro garras sob as patas com função de adesivo, bem como garras maiores curvadas na ponta das patas, facilitando a locomoção sobre árvores e arbustos.

Assim como outras espécies do mesmo gênero, U.phantasticus tem cauda achatada, parecendo mais ainda com folhas, o que confunde seus predadores. A cauda de U.phantasticus tem aproximadamente 60% do tamanho do corpo, o que a diferencia de outras espécies, como U. ebenaui e U. finiavana, as quais possuem caudas que representam respectivamente 20 e 30% do comprimento total.

Uroplatus sp. abrindo a boca para intimidar. Fonte:
Uroplatus phantasticus apresenta um comportamento de defesa peculiar, pois achata o corpo contra o substrato, tornando-o imperceptível. Além disso, quando acuada, a espécie abre sua larga boca vermelha e brilhante para intimidar. Se nenhuma das alternativas anteriores funcionarem, U. phantasticus solta a cauda para distrair o predador e foge do local.

São conhecidas 13 espécies de lagartixas-rabo-de-folha, gênero Uroplatus, todas endêmicas de Madagascar. Porém, é apenas em 500 km de florestas úmidas de Madagascar que vive U. phantasticus. A espécie pode ser encontrada em arbustos e árvores, preferindo estar entre a altura do solo e 2 m.

Uroplatus phantasticus está ameaçada de extinção, e já faz parte do CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagem). As ameaças são várias, incluindo desde o tráfico da espécie para ser comercializada como animal de estimação até sua perda de habitat por retirada de madeira na região. Felizmente, parte da população desta espécie é protegida pelo Parque Nacional Ranomafana Porém, tal proteção talvez não seja suficiente e é possível que sem devidas providências, em breve essa espetacular espécie poderá deixar de existir naturalmente em Madagascar.
           

Referências:
IUCN. The IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: http://www.iucnredlist.org/details/172906/0
Arkive. Satanic leaf-tailed gecko (Uroplatus phantasticus). Disponível em: http://www.arkive.org/satanic-leaf-tailed-gecko/uroplatus-phantasticus/Bauer, A. M.; Russell, A. P. 1989. A systematic review of the genus Uroplatus (Reptilia: Gekkonidae), with comments on its biology. Journal of Natural History, 23(1): 169-203. 

Greenbaum, E.; Bauer, A. M.; Jackman, T. R.; Vences, M.; Glaw, F. 2007. A phylogeny of the enigmatic Madagascan geckos of the genus Uroplatus (Squamata: Gekkonidae). Zootaxa, 1493: 41-51.

Autoria: Nayara Castro