Translate

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Vampiro das profundezas - Vampyroteuthis infernalis Chun, 1903


Diversas histórias tentam explicar o surgimento dos vampiros. Lendas antigas dizem que a alma de um suicida deixaria seu sepulcro durante as noites para atacar os humanos, sugar seu sangue e retornar como morcego para as profundezas antes do nascer do sol. O mais louco é que, nesse caso, não é um “vampiro que volta para as profundezas”, mas uma lula vampira-do-inferno nas águas profundas dos oceanos! Dando continuidade à saga de vampiros, apresento-lhes Vampyroteuthis infernalis Chun, 1903.

Vampyroteuthis infernalis Chun, 1903 (Vampyromorpha: Vampyroteuthidae)

Etimologia:
Vampyro = (do húngaro, Vampir) bruxa.
teuthis = (do grego antigo, teuthis) lula.
infernalis (do latim, infernus) = abaixo.

-

A lula-vampiro Vampyroteuthis infernalis é pequeno, medindo de 13 a 30 cm. Como outros cefalópodes, possui oito tentáculos e locomove-se através de propulsão a jato. Sua cor é negra, mas pode variar em roxo, vermelho e marrom, de acordo com a iluminação. Seu nome relaciona-se à coloração escura e avermelhada, que inspirou alguns naturalistas a descreverem-na como "um polvo muito pequeno, mas terrível. Negro como a noite, com mandíbulas brancas e olhos vermelhos de sangue". Apesar da descrição assustadora, observações comportamentais indicam que este animal é muito dócil.

Vampyroteuthis infernalis. Fonte: National Geographic.
Vampyroteuthis infernalis é uma relíquia filogenética, ou seja, uma raridade na história evolutiva dos grupos taxonômicos. Este grupo possui características de lulas e decápodes (grupo de crustáceos como camarões, lagostas e caranguejos). Além disso, ele tem muitas características que são provavelmente adaptações ao alto-mar. Entre estas, estão ausência da bolsa de tinta, usada para defesa em outros cefalópodes; bioluminescência na ponta dos tentáculos; e consistência gelatinosa dos tecidos para aguentar a pressão das águas profundas.

Apesar de ser popularmente conhecido com lula, este animal é o único representante vivo da ordem de lulas-vampiro Vampyromorphida, pertencente à classe Cephalopoda (moluscos marinhos como polvos, lulas, sépias e náutilos). Vampyroteuthis infernalis pode ser encontrado em profundidades entre 600 e 1200 m das águas temperadas e tropicais dos oceanos Pacífico, Atlântico e Índico.




Referências:
Pickford, G. E. 1949. Vampyroteuthis infernalis Chun an archaic dibranchiate cephalopod. II. External anatomy. Dana-Report No. 32: 1-132. 

Seibel, B. A.; Thuesen, E. V.; Childress, J. J. 1998.Flight of the vampire: ontogenetic gait-transition in Vampyroteuthis infernalis (Cephalopoda: Vampyromorpha). The Journal of Experimental Biology 201: 2413-2424.

Autoria: Bruna A. G. de Barros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por enviar seu comentário!